Rituais fúnebres em diferentes religiões

Funeral

Gostava de saber um pouco mais sobre os rituais de morte de acordo com algumas religiões?

As religiões tornam-se grandes aliadas para este momento, oferecendo conforto e reflexão sobre a perda. Diferentes costumes e ritos são elaborados para este momento. Veja alguns rituais de morte de base religiosa que fazem parte do adeus a um ente querido.

JUDAÍSMO

Na crença judaica, a morte representa uma passagem. Os judeus definem a morte como democrática. Ou seja: todos, independentemente da classe social, são enterrados da mesma forma, sem ornamentos ou flores.

Antes do funeral, os membros da família do falecido rasgam uma peça da sua própria roupa como símbolo de luto. Outros rituais também fazem parte da tradição judaica, tais como fazer várias paragens enquanto acompanham o caixão em locais diferentes para mostrar a relutância de cada um em dizer adeus.

O shiva é também uma tradição, que é o período em que a família permanece sem actividades comerciais ou de lazer, com a duração de sete dias.

CANDOMBLÉ

Com raízes africanas, o candomblé não tem a morte como o fim. A morte significa um rito de passagem, a saída do corpo material. Quando a pessoa morre, realiza-se um ritual pós-morte, que tem lugar em várias etapas, tais como a preparação do corpo para libertar o espírito da matéria.

Depois disto, realiza-se um velório, com cânticos que se referem ao regresso do espírito ao seu lugar de origem. Este ritual é renovado após um ano, e depois repetido durante os três anos seguintes. A privação do prazer, tal como o consumo de álcool e as relações sexuais, é também comum.

HINDUÍSMO

Os Hindus tradicionalmente são cremados. Eles acreditam que o corpo é formado por cinco elementos: fogo, água, ar, terra e éter. A morte significa a perda de um destes elementos e, a partir disso, a deusa do fogo vem para purificar o corpo e libertar a alma.

Os membros da família passam por um período de reclusão, que dura de 7 a 40 dias. Todos ficam em casa, comem só coisas leves e se desfazem dos pertences do finado.

A família também é considerada impura e deve tomar um banho de purificação ao voltar para casa. Durante o período de reclusão, os familiares não frequentam templos nem o comércio.

BUDISMO

Existem diversas fontes do budismo, assim os seus rituais podem variar conforme a localidade. Entre os rituais mais comuns está, após 7 dias de morte, a celebração da memória, momento em que familiares e amigos se reúnem e compartilham os bons momentos vividos com o falecido.

ISLAMISMO

Na cerimónia islâmica não há funeral. O corpo é exposto publicamente para orações. Chorar e lamentar também não são comuns.

De acordo com a tradição, são feitas quatro exaltações a Deus. Após a primeira, é recitado o primeiro capítulo do Corão. Depois do segundo, pede-se a bênção do profeta Maomé. Depois do terceiro, reza-se por todos os mortos. Finalmente, após a última exaltação, reza-se especificamente pelo falecido.

O enterro sem caixão, apenas envolto em pano branco de algodão, é também comum.

CRISTIANISMO 

Na religião católica, o velório e o enterro são realizados em sequência. Durante o velório há consolo para os parentes e as homenagens são feitas de várias maneiras ao falecido. Estas homenagens envolvem decorar os quartos com flores, queimar velas e dizer orações. Algumas famílias também usam apenas roupas pretas durante 7 dias, para demonstrar a perda e ausência.

Para os cristãos, o luto é recordado durante o Dia dos Mortos (2 de Novembro). A data é dedicada a orações e tributos aos falecidos. Por esta razão, muitas pessoas visitam cemitérios nesta data. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

RECEBA NOSSAS OFERTAS E NOVIDADES EXCLUSIVAS


CONTACTO